Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 27 de fevereiro de 2010

É DIFÍCIL DOMAR A LÍNGUA!

Ontem o início dos trabalhos, foram coordenados por Israel e Aldo. Repetíamos e adcionavamos mais impressões físicas e cognitivas. Somavamos todas as vivências dos espaços que nos apresentamos, além dos resultados obtidos no último ensaio.
Depois cada um, individualmente, apresentava suas partituras. A partir daí veio uma série de correção. Começando por Eddy. Que foi a primeira a se apresentar. Luiz pontuou várias coisas. Levou um bom tempo. E a cada palavra percebia Eddy se retorcendo toda, agoniada em justificar cada passo que tinha dado. Fiquei observando aquele momento e vendo o quanto é difícil para um ator ouvir sobre seus erros, esquecimentos, o acerto que ainda não está bom...uma série de coisas. O quanto é difícil não abri a boca para dizer: mas isso foi por que... Enquanto tudo aparentemente está contra você.
E quando a observação era para todos, resultava num alívio tão grade que ningém faz idéia. Depois foi a vez dos demais até chegar a minha vez. Ouvir cada paralavra domando minha boca para não me justificar. Mas logo ele (o diretor) falou no figurino, aí desandei a falar descrevendo como seria; sem parar.
Como é difícil domar a língua!

Indaiá Oliveira.

1 Comentário:

Luiz Antônio Jr. disse...

O caso não é domar a língua ou não poder falar! O que precisa ser dito é na cena que se fala... o conceito deve ser expresso na em sua execução. Não gosto de ver uma coisa que depois precise de uma explicação para que aquilo faça sentido ou para que eu possa entender. Não é lógico isso!
E não há erros ou acertos no teatro. Existem sim opções, escolhas. Eu sugeri outros caminhos a todos, falei de tudo o que achei sobre o trabalho de cada um... é que as vezes o nosso ego quer tapar o ouvido às sugestões do outro. É normal! Mas ouvir o outros que observa é sempre importante!

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO